quinta-feira, 9 de junho de 2022

Every day ... we must protect the ocean!

No seguimento do último post sobre o "Dia Mundial dos Oceanos" (8 de junho), o Projeto "Europa+/ Clube Europeu continua a missão de sensibilizar para que se protejam OS OCEANOS, pois cerca de “três mil milhões de pessoas” dependem dos oceanos para o seu sustento, não esquecendo que os mares são também “responsáveis pela produção de mais de 50% do oxigénio” e absorvem um quarto das emissões de dióxido de carbono mundiais. (@associacaozero)



«O poder de regeneração do oceano é notável - se lhe dermos essa oportunidade. […] Estamos ao alcance de uma relação totalmente nova com o oceano, uma relação mais sábia, mais sustentável. A escolha é nossa.»              Sir David Attenborough


A Associação Zero espera que as nações se comprometam a proteger 30% dos oceanos até 2030, classificando-o em reservas naturais e áreas protegidas. Defende ainda um tratado que trave o uso de plásticos, porque o declínio dos oceanos ameaça sustento de mais de um terço da população mundial. (@observador)


«Tenho esperança de que um maior conhecimento do mar, que há milênios dá sabedoria ao homem, inspire mais uma vez os pensamentos e as ações daqueles que preservarão o equilíbrio da natureza e permitirão a conservação da própria vida.»                                                                                                            Jacques Cousteau, oceanógrafo


O que os jovens alunos e alunas (turmas A e B do 11.º ano) da ESAS escreveram sobre o Oceano:
11ºA
11.º B





A Terra está em risco de assistir a uma nova extinção em massa, depois da vivida no Cretácico, há 65 milhões de anos, desta vez nos oceanos, alertaram cientistas, portanto faz a diferença, e sê um embaixador ou uma embaixadora dos Oceanos!

mas, o que se pode fazer já para ajudar O OCEANO?
  • Se come peixe, diversifique a sua dieta em termos de consumo de marisco, não coma sempre a mesma espécie. Evite também consumir predadores de topo e certifique-se de que o que come provém de fontes responsáveis. 
  • Evite a poluição plástica: com 80% da poluição marinha originada em terra, faça a sua parte para impedir que a poluição chegue ao mar. Pode ajudar, utilizando produtos reutilizáveis, evitando consumir produtos descartáveis, e também se certificando de que está a colocar os seus resíduos nos contentores apropriados. 
  • Recolha o lixo da praia e não deite lixo no chão.  
  • Continue a defender soluções, seja nas ruas, escrevendo cartas aos decisores, assinando petições, ou apoiando campanhas que visem influenciar os decisores, a nível nacional ou a nível global. 
(Catarina Grilo e o biólogo Nuno Barros da ANP, bem como a Sam Collins da Fundação Oceano Azul)

terça-feira, 7 de junho de 2022

World Oceans Day 2022 (8/junho)


Pelicano em Aruba / "Estou a criar imagens com o que destrói o mundo", Bordalo II.

 

 "Homem livre, tu sempre gostarás do MAR"   

(Charles Baudelaire)

O Projeto Europa+/ Clube Europeu não poderia deixar de comemorar o Dia Mundial dos Oceanos (até porque o Clube Europeu ganhou a candidatura do presente ano letivo, cujo tema obrigatório é "Oceanos").

É importante lembrar a importância dos oceanos no nosso quotidiano, enquanto «pulmões do planeta» e sensibilizar para a sua preservação.

Todos os anos a celebração deste dia é acompanhada por um evento temático. Em 2022, realiza-se em formato híbrido, com um evento presencial na sede da ONU em Nova Iorque e com transmissão em direto. 

O tema é «Revitalização: Ação Coletiva para o Oceano» com o objetivo de sensibilizar para a necessidade de criar um novo equilíbrio com o oceano, trazendo-lhe uma nova vida.




O oceano conecta, sustenta e sustenta-nos. No entanto, a sua saúde está num ponto de inflexão, assim como o bem-estar de tudo o que depende dela. Como os últimos anos nos mostraram, precisamos de trabalhar juntos para criar um novo equilíbrio com o oceano que não esgote mais a sua generosidade, mas restaure sua vibração e lhe traga nova vida.

Junta-te a nós no Dia Mundial dos Oceanos das Nações Unidas 2022 (organizado pela Divisão das Nações Unidas para Assuntos Oceânicos e o Direito do Mar, com a generosa contribuição da Oceanic Global , que é possibilitada por La Mer), é importante derramar luz, ideias e soluções, nas comunidades que estão trabalhando juntas para proteger e revitalizar o oceano e tudo o que ele sustenta.
 
Fica o link para poderes participar (entre as 10h00 e as 13h00 do dia 8 de junho):
 

 

Fica o convite, mas durante o dia de amanhã (8 de junho), fica atento(a) ao blogue.

O Dia Mundial dos Oceanos foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2008. Contudo, muitos países já comemoravam a data após a Cimeira da Terra, realizada no Rio de Janeiro, em 1992. Todos os anos a data é assinalada a 8 de junho e pretende sensibilizar para a importância dos mares e oceanos, apelando para a sua conservação.                                                             @imprensanacional

 

quinta-feira, 2 de junho de 2022

ONTEM foi dia da CRIANÇA, HOJE é dia da CRIANÇA, AMANHÃ é dia da CRIANÇA...

2/junho/2022


O Projeto Europa+/ Clube Europeu não festeja apenas o dia 1 de junho como o O Dia Mundial da Criança, porque todos os dias deve-se promover os direitos e o bem-estar de todas as crianças, onde quer que estejam.

No entanto deve-se saber que...

O dia 1 de junho foi estabelecido oficialmente em 1950 na sequência do congresso da Federação Democrática Internacional das Mulheres, realizado em 1949, em Paris.

Portugal, à semelhança de vários países, adotou o dia 1 de junho para celebrar o Dia da Criança com o objetivo de sensibilizar para os direitos das crianças e para a necessidade de promover uma melhoria das condições de vida, tendo em vista o seu pleno desenvolvimento.



Por vezes é difícil distinguir este dia, 1 de junho, do dia 20 de novembro, considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Universal da Criança, dia em que se celebram dois marcos importantes (20 de novembro, de 1959, foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança e a 20 de novembro de 1989 foi adotada pela Assembleia Geral da ONU, a Convenção dos Direitos da Criança que Portugal ratificou no dia 21 de setembro de 1990).


A UE e os países da UE são obrigados a respeitar, proteger e promover os direitos da criança. Todas as políticas da UE que tenham um impacto nas crianças devem ser concebidas tendo em conta o superior interesse das mesmas.

                    os Direitos da Criança

No entanto, há notícias e factos que chocam, arrepiam e que nos levam a interrogar em que século vivemos (?), vejamos alguns exemplos:


" África Central e Ocidental tem o maior número de crianças-soldado em todo o mundo. (UNICEF afirma que mais de 21 mil crianças foram recrutadas por grupos armados nos últimos cinco anos na África Central e Ocidental. No mesmo período 2.200 crianças foram vítimas de violência sexual)."

- "ONU diz que 2 milhões de crianças correm o risco de morrer de fome no Chifre da África (Uma seca severa atinge três países: Somália, Etiópia e Quénia. A ONU busca recursos para poder atender mais gente)."

 
- (...).

Fontes: @swissinfo.ch/@eurocid.mne.gov.pt/@ec.europa.eu/ @undocs.org/ @unicef/ @observador/ @expresso/@jn/@dge)


Fica a foto de Damon Lync e uma quadra de um dos poemas de Fernando Pessoa sobre a infância e a inocência que a caracteriza:



Quando as crianças brincam
E eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar. (...)


(recomenda-se a consulta das gadget´s laterais- versão web - "EVERY DAY... IS CHILDREN'S DAY!")


segunda-feira, 9 de maio de 2022

a palavra (de hoje)é: EUROPA!


O Projeto Europa+/  Clube Europeu pretende, com este post, dar a conhecer um pouco da Europa, cujo dia surgiu na sequência da histórica «Declaração Schuman», proferida a 9 de maio de 1950.


Algumas datas...

. 1945 a 1949
A paz na Europa e os primórdios da cooperação (como a cooperação pós-guerra na Europa levou à criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, à assinatura dos Tratados de Roma e ao nascimento do Parlamento Europeu).

. 1960 a 1969
Os anos 60 – Um período de crescimento económico (desenvolvimento da União Europeia na década de 1960, verificando-se uma maior integração económica na Europa e o início da cooperação internacional).
 
. 1970 a 1979
Uma comunidade em crescimento — os primeiros novos membros juntam-se: Dinamarca, Irlanda e Reino Unido (primeira adição de novos membros, eleições europeias e uma política regional para reforçar as zonas mais desfavorecidas).

. 1980 a 1989
O rosto em mutação da Europa — o colapso do comunismo:
1 de janeiro de 1981 — a Grécia torna-se o 10.º país a aderir (era elegível para tal, uma vez que o regime militar tinha sido derrubado e a democracia restabelecida em 1974).

28 de fevereiro de 1984 — primeiro Programa Europeu de Investigação.

1 de janeiro de 1986 - Portugal e Espanha aderem  às Comunidades Europeias, que passam a contar 12 Estados-Membros (Alemanha, França, Itália, Países Baixos, Bélgica, Luxemburgo, Dinamarca, Irlanda, Reino Unido, Grécia, Portugal, Espanha). 

13 de junho de 1987 - lançamento do Programa Erasmus (objetivo: financiar estudantes universitários que desejem estudar noutro país europeu. Desde então, o programa deu a mais de 10 milhões de pessoas a oportunidade de estudar, receber formação, fazer voluntariado ou adquirir experiência profissional no estrangeiro).

9 de novembro de 1989 - queda do muro de Berlim (a fronteira entre o Oriente e o Ocidente é aberta pela primeira vez em 28 anos. Após mais de 40 anos de separação, a Alemanha é reunificada e, em outubro de 1990, a parte oriental do país passa a fazer parte da Comunidade Europeia).

. 1990 a 1999

Uma Europa sem fronteiras:

 7 de fevereiro de 1992Tratado de Maastricht ( estabelece regras claras para a futura moeda única, bem como para a política externa e de segurança e o reforço da cooperação em matéria de justiça e assuntos internos.

1 de novembro de 1993 - A «União Europeia» é oficialmente criada pelo Tratado, que entra em vigor nesta data-

1 de janeiro de 1993, lançamento do mercado único (foi lançado com as «quatro liberdades» de livre circulação de pessoas, bens, serviços e capitais).

1 de janeiro de 1994 — criação do Espaço Económico Europeu (EEE).

1 de janeiro de 1995 -  Áustria, a Finlândia e a Suécia aderem à UE e uma pequena aldeia do Luxemburgo dá o seu nome ao Acordo de Schengen (entrou em vigor a 26 de março de 1995)  que permitirá gradualmente que as pessoas viajem para grandes partes da UE sem controlo de passaporte.

2 de outubro de 1997 - assinatura do Tratado de Amesterdão (estabelece planos para reformar as instituições europeias, dar à Europa uma voz mais forte no mundo e consagrar mais recursos ao emprego e aos direitos dos cidadãos).

1 de janeiro de 1999 — nasce o euro (€)

. 2000-2009

Continuação do alargamento:

1 de janeiro de 2002 — lançamento de notas e moedas de euro em 12 países.

1 de maio de 2004 — 10 novos países (Chipre e Malta aderem à UE juntamente com oito países da Europa Central e Oriental — Chéquia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Eslováquia e Eslovénia — acabando finalmente com a divisão da Europa pós-Segunda Guerra Mundial).

29 de maio a 1 de junho de 2005 — Constituição da UE.

1 de janeiro de 2007 — a UE congratula-se com a entrada da Bulgária e da Roménia (elevando o número de Estados-Membros para 27).

13 de dezembro de 2007 — Tratado de Lisboa (os 27 países da UE assinam este tratado que altera os tratados anteriores. O objetivo é tornar a UE mais democrática, eficiente e transparente, e, assim, garantir as condições para que possa dar resposta a desafios mundiais como as alterações climáticas, a segurança e o desenvolvimento sustentável. Todos os países da UE ratificaram o Tratado antes da sua entrada em vigor, em 1 de dezembro de 2009).

. 2010-2019
Uma década de desafios.

2010 — a Europa enfrenta a crise financeira.

10 de dezembro de 2012 — atribuição do Prémio Nobel da Paz à UE.

1 de julho de 2013 — a Croácia torna-se o 28.º membro da UE.

12 de dezembro de 2015 — é assinado o acordo de Paris sobre as alterações climáticas (195 países celebram um novo acordo para fazer face às alterações climáticas. O acordo inclui um plano de ação para manter o aquecimento global muito abaixo dos 2°C em relação aos níveis pré-industriais).

23 de junho de 2016 — Reino Unido vota para sair da UE (52 % dos eleitores no Reino Unido votam a favor da saída do Reino Unido da União Europeia após mais de 40 anos como membro). 

dezembro de 2019 — rumo a uma Europa com impacto neutro no clima (a preocupação do público com a crise climática aumenta, impulsionada por um movimento jovem internacional crescente e ativo. Uma nova Comissão toma posse com firmeza na perspetiva de tornar a Europa um espaço com impacto neutro no clima até 2050, através de uma nova estratégia de crescimento, o Pacto Ecológico Europeu).

. de 2020-até hoje 
Pandemia de COVID-19, o caminho para a recuperação e a ajuda à Ucrânia.

31 de janeiro de 2020 - o Reino Unido sai da União Europeia 47 anos depois de ter aderido, abrindo um novo capítulo na sua relação com a UE.

(Fonte:@european-union.europa.eu)

Vamos contar às crianças...


 

Hino Oficial da União Europeia 


Hino da Alegria, ou Ode à Alegria (em alemão Ode an die Freude), é o nome do poema escrito por Friedrich Schiller em 1785 e cantado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Ludwig van Beethoven.

 

 

 (recomenda-se a consulta das gadget´s laterais- versão web - "#EuropeDay2022")

domingo, 1 de maio de 2022

Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora...

 1 de maio

 

Os Operários, 1933, Tarsila do Amaral


 

O Projeto Europa+/ Clube Europeu,  deseja que todos os trabalhadores e todas as trabalhadoras deste país, festejem este dia como um símbolo de conquistas dos seus direitos e que o mundo reflita sobre o que ainda há para fazer para resolver a falta de condições de trabalho para uma sociedade mais justa e solidária.


No Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora, não é de mais dizer, e porque o saber não ocupa lugar, que

este dia tem origem na histórica greve geral de Chicago, ocorrida a 1 de maio de 1886, na qual foram reivindicadas melhores condições laborais e salariais. A data foi oficializada a 14 de julho de 1989, no Congresso Operário Internacional, em Paris.

No entanto, o Dia do Trabalhador não é festejado no dia 1 de maio em todos os países, por exemplo no no Japão, o 1° de maio é comemorado a 23 de novembro, desde 1948. É chamado de Kinrou Kansha no Hi ( きんろうかんしゃのひ / 勤労感謝 の日), que traduzindo seria “Dia da Ação de Graças ao Trabalho“.

Em Portugal: 

os trabalhadores assinalaram o 1.º de Maio em 1890, o primeiro ano da sua realização internacional. Mas as ações do Dia do Trabalhador limitavam-se inicialmente a alguns piqueniques de confraternização, com discursos pelo meio, e a algumas romagens aos cemitérios em homenagem aos operários e ativistas caídos na luta pelos seus direitos laborais.

Com as alterações qualitativas assumidas pelo sindicalismo português no fim da Monarquia, ao longo da I República transformou-se num sindicalismo reivindicativo, consolidado e ampliado. O 1.º de Maio adquiriu também características de ação de massas.

Até que, em 1919, após algumas das mais gloriosas lutas do sindicalismo e dos trabalhadores portugueses, foi conquistada e consagrada na lei a jornada de oito horas para os trabalhadores do comércio e da indústria.

Mesmo no Estado Novo, os portugueses souberam tornear os obstáculos do regime à expressão das liberdades. As greves e as manifestações realizadas em 1962, um ano após o início da guerra colonial em Angola, são provavelmente as mais relevantes e carregadas de simbolismo.

Nesse período, apesar das proibições e da repressão, houve manifestações dos pescadores, dos corticeiros, dos telefonistas, dos bancários, dos trabalhadores da Carris e da CUF. No dia 1 de Maio, em Lisboa, manifestaram-se 100 000 pessoas, no Porto 20 000 e em Setúbal, 5000.

Ficarão como marco indelével na história do operariado português, as revoltas dos assalariados agrícolas dos campos do Alentejo, com o grande impulso no 1.º de Maio de 1962.

Mais de 200 mil operários agrícolas, que até então trabalhavam de sol a sol, participaram nas greves realizadas e impuseram aos agrários e ao governo de Salazar a jornada de oito horas de trabalho diário.

O 1.º de Maio mais extraordinário realizado até hoje, em Portugal, com direito a destaque certo na história, foi o que se realizou oito dias depois do 25 de Abril de 1974. 

(Fontes: @eurocid/ @euronews)

 

Que este dia nunca esqueça...

o artigo 31.º da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia dispõe que todos os trabalhadores têm direito a condições de trabalho saudáveis, seguras e dignas, a uma limitação da duração máxima do trabalho e a períodos de descanso diário e semanal, bem como a um período anual de férias pagas.

Vale a pena ouvir, "Trabalhador" interpretado por Seu Jorge

 


 

Feliz coincidência... porque as mães são exímias trabalhadoras!

1 de maio

Dia da Mãe

 

O Projeto Europa+/ Clube Europeu  congratula todas as mães e deseja um feliz dia, porque, e como escreveu (há já alguns anos e cuja memória ficou) um aluno  do agrupamento,

"A minha mãe, é uma mãe coragem!" 


Deixamos uma curiosidade:

por coincidência, a palavra MÃE começa por M em diversas línguas. Acredita-se que a origem da palavra esteja num dos sons fundamentais da espécie associado à amamentação:

  • Alemão: Mutter
  • Bósnio:  Majka
  • Búlgaro: майка
  • Catalão: Mare
  • Mandarim: Mǔqīn
  • Croata: Majka
  • Dinamarquês: Mor
  • Eslovaco: Matka
  • Esloveno: Mati
  • Francês: Mère
  • Galês: Mam
  • Haitiano: Manman
  • Grego: Mi̱téra
  • Havaiano: Makuahine
  • Hindi: Māṁ
  • Holandês: Moeder
  • Inglês: Mother
  • Irlandês: Máthair
  • Islandês: Móỗir
  • Italiano: Madre
  • Latim: Mater
  • Lituano: Motina
  • Norueguês: Mor
  • Polaco: Matka
  • Português: Mãe
  • Romeno: Mamă
  • Russo: Mat’
  • Sérvio: мајка
  • Sueco: Mor
  • Ucraniano: Мама

 

E um tema de David Guetta, com uma excelente mensagem/homenagem...

(Fontes:@ua.pt/ @observador/@youtube)

 FELIZ DIA!

segunda-feira, 25 de abril de 2022

48 anos...

 

@associação25deabril

O Projeto Europa+/ Clube Europeu homenageia todos e todas que há 48 anos ajudaram e lutaram para um tempo livre, tal como escreveu Sophia de Mello Breyner Andresen (in O Nome das Coisas)

25 de abril

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

 

Porque...

no dia 25 de abril de 1974 o Movimento das Forças Armadas (MFA) derrubou o regime de ditadura que durante 48 anos oprimiu o Povo Português. Nessa madrugada (...) os militares de Abril foram claros nas suas promessas: terminara a repressão, regressara a Liberdade, vinha aí o fim da guerra e do colonialismo, vinha aí a democracia.

Com tudo isso, a Revolução dos Cravos pôs fim ao isolacionismo a que Portugal estava condenado há já vários anos e ajudou ao nascimento de novos países independentes. Constituindo-se o movimento pioneiro de enormes transformações democráticas em todo o mundo e demonstrando que as Forças Armadas não estão condenadas a ser um instrumento de opressão, podendo, pelo contrário, ser um elemento libertador dos povos.

@associação25deabril 

 

 Na educação, pode-se dizer...

que o golpe contra o regime do Estado Novo, foi também o início de uma revolução no ensino que ficou na memória de estudantes e professores.  

Após a Revolução de 25 de Abril, as aulas foram suspensas, as avaliações postas em causa, os manuais “excomungados” e milhares de alunos temporariamente impedidos de seguir para a universidade, mas os estudantes garantem que “nunca se aprendeu tanto”.

Alguns testemunhos...

"Os anos de 1974, 75 e 76 foram de grandes aprendizagens que nos permitiram conhecer o mundo e despertar para a liberdade. Até ali só conhecíamos o mundo que nos deixavam conhecer”, recordou Manuel Pereira, que estudava no Colégio de Lamego e hoje é presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE).

"Foi um período incrível de liberdade em que aprendemos muito. Discutia-se muito, debatia-se tudo”, contou à Lusa Marília Gomes (Engenheira Civil, em 1974 estava no último ano do Liceu).  (@observador2020)

 

Neste dia de abril, deixamos uma partilha, não é uma canção de abril de 74, mas como se conquistou a LIBERDADE e sobretudo DIREITOS HUMANOS também com PALAVRA e sobretudo com POESIA, deixa-se uma mensagem para os que, neste momento, vivem momentos onde são vítimas da violação dos Direitos Humanos, mas com a esperança do caminho para a LIBERDADE...


O GAJO - "O Caminho é o Poema" com convidados ao vivo no Ferroviário

 

Nunca deixes morrer ABRIL!...

 

(recomenda-se a consulta das gadget´s laterais- versão web - "48 anos...")

quarta-feira, 13 de abril de 2022

"Imagine all the people/ Sharing all the world" (John Lennon e Yoko Ono)

 

Em tempo de Páscoa...

O Projeto Europa+/ Clube Europeu, deseja a todos (crentes e não crentes) que este momento celebrado pelos Cristãos do mundo inteiro, seja, um momento de recomeço, pois e tal como afirmou Papa Francisco,  

 «É possível recomeçar sempre»

 

Desejamos que todos e todas que sofrem as atrocidades dos conflitos militares, encontrem a esperança para recomeçar, o mais breve possível, em PAZ.

 É um convite à coragem em  olhar além, para que a humanidade dissipe as trevas que pairam sobre si, porque

"Palavras como indiferença, egoísmo, divisão, esquecimento não são as que queremos ouvir neste tempo.(...)".    Papa Francisco

             

Partilhamos o vídeo de Julian Lennon (filho do lendário John Lennon e Yoko Ono), onde, quebrando uma promessa, interpreta o maior clássico de seu pai pela  solidariedade aos refugiados ucranianos. Anteriormente, ele havia dito que só faria isso "no fim do mundo", mas

 “The War on Ukraine is an unimaginable tragedy... As a human, and as an artist, I felt compelled to respond in the most significant way I could.                                    Julian Lennon

 

Eis o tema/ interpretação :

 A performance faz parte da campanha global Cidadãos Globais.

 

Com este tema e esta letra, palavras para quê?!

 

@ArtistCity is an online platform that features Middle Eastern 

 NÃO FIQUES INDIFERENTE E AJUDA ALGUÉM A RECOMEÇAR...

 (recomenda-se a consulta das gadget´s laterais- versão web - "Podes ajudar...")

segunda-feira, 21 de março de 2022

"Racism is the rejection of your common humanity" (António Guterres, ONU)

 Dia Internacional para a 

Eliminação da Discriminação Racial 

21 de março 


O Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial foi estabelecido através da Resolução 2142 (XXI) da Assembleia Geral das Nações Unidas, a 26 de outubro de 1966, em virtude dos acontecimentos ocorridos no dia 21 de março de 1960 (nesse dia, a polícia abriu fogo e matou 69 pessoas numa manifestação pacífica em Sharpeville, na África do Sul, contra leis que aprofundavam o Apartheid).

Ver vídeo:


 

Objetivo geral:

. mobilizar a sociedade civil para a luta contra a discriminação racial, bem como a importância da «Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial» (1965).

Ver vídeo:

United against racism


 

Sabe-se que...

«o racismo assume várias formas. As manifestações explícitas de racismo individual e de discriminação racial são as mais óbvias. Com demasiada frequência, a origem racial ou étnica serve de pretexto para a discriminação a pandemia de COVID-19 e o rescaldo dos ataques terroristas são apenas os casos mais recentes de situações em que as culpas foram injustamente apontadas a pessoas de minorias étnicas ou raciais. As pessoas de ascendência asiática e africana, os muçulmanos, os judeus e os ciganos têm sido vítimas de intolerância.
Mas há outras formas de racismo e discriminação racial, como as que assentam em preconceitos inconscientes, que embora menos explícitas, podem ser igualmente lesivas.(...)
O racismo estrutural perpetua os obstáculos que se colocam aos cidadãos exclusivamente com base na sua origem racial ou étnica. Todos os dias, as vítimas do racismo sentem o seu impacto no acesso ao emprego, aos cuidados de saúde, à habitação, ao financiamento ou à educação, bem como nos casos de violência.(...)
Há diferentes formas de racismo, por exemplo, contra negros, ciganos, judeus e asiáticos, que estão associadas a religiões ou crenças, como é o caso do ódio antimuçulmano. Todas elas levam a que, na prática, o valor de uma pessoa fique refém de estereótipos baseados em preconceitos.» (in Uma União da igualdade: plano de ação da UE contra o racismo 2020-2025)

 

O tema deste ano é 

«Vozes para ação contra o Racismo».

 

Every day, each and every one of us can stand up against racial prejudice and disrespectful attitudes.

Let’s build a world beyond racism and discrimination, where we all exercise our human rights.

(Todos os dias, cada um de nós pode enfrentar o preconceito racial e atitudes desrespeitosas. 

Vamos construir um mundo além do racismo e da discriminação, onde todos exerçamos nossos direitos humanos.)

 


 

Em conformidade com a Diretiva Igualdade Racial, as crianças devem ter igualdade de acesso à educação, qualquer que seja a sua origem racial ou étnica. Os professores devem receber formação para estarem aptos a trabalhar com todas as crianças e serem sensíveis às necessidades dos alunos de diferentes origens, nomeadamente sobre questões relacionadas com a discriminação racial. As escolas devem ser espaços seguros, livres de assédio, racismo e discriminação. Há que ensinar desde cedo as crianças sobre a igualdade, o respeito e a inclusão e habilitá-las a promoverem esses valores entre os seus pares e nas suas comunidades. (@eurocid.mne.gov.pt)


Be a human rights champion!    Fighting against RACISM!




 (recomenda-se a consulta das gadget´s laterais- versão web - "Diversity is a strenght, not a threat")